O Projeto

 

 

UM  PROJETO  NACIONAL COM  DNA  PARANAENSE

O desenvolvimento do modal ferroviário no Paraná baseado no tripé da sustentabilidade (aspecto ambiental, econômico e social) inova na resolução do gargalo existente no transporte de cargas por linhas férreas.

Assim, o Corredor Oeste de Exportação ou a Nova Ferroeste tem como premissa ligar o Porto de Paranaguá até Maracaju no Mato Grosso do Sul, com o objetivo de oferecer um modal adequado e eficiente para o escoamento de produtos e mercadorias provenientes do Oeste do Paraná, Mato Grosso do Sul e Paraguai.

A inclusão do empreendimento na carteira de investimentos do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do Governo Federal possibilita torná-lo atrativo para a iniciativa privada e, dessa forma, ser leiloado na Bolsa de Valores (B3) em 2022.

 

O NOVO TRECHO FERROVIÁRIO

 

Imagem com informações do traçado

 


O POTENCIAL DA NOVA FERROESTE

 

Ícone do Projeto

 


PARANÁ - HUB LOGÍSTICO

 

Pelos trilhos do Corredor Oeste de Exportação, estimam-se que passem 38 milhões de toneladas no primeiro ano. Com investimentos sendo feitos no Porto de Paranaguá, o eixo potencializa a redução dos custos de exportação – cerca de 28% -  refletindo na elevação da produtividade e competitividade do setor produtivo.

A posição geográfica estratégica e privilegiada do Paraná (acesso a um PIB de US$ 1,7 trilhão num raio de 1.500 km) facilita a entrada por mar aberto a três portos e entreportos e conta com a melhor malha rodoviária do sul do Brasil, numa clara demonstração da possibilidade de integração por diferentes modais.

A NOVA FERROESTE É UMA DAS AÇÕES QUE BUSCA TRANSFORMAR O PARANÁ NO HUB LOGÍSTICO DA AMÉRICA DO SUL

Porto de Paranaguá